Somos tantas…

1 Maio


Há quem não pare de criticar, há quem se perca em elogios. O fato é que o  casamento real do príncipe William com Kate Middleton, marca um novo tempo e imprensa um novo rosto a este momento em que a Inglaterra se visualiza como um país em tempos de dificuldades. O ambiente festivo criado na sexta-feira em Londres e os milhões de espectadores de todo o mundo teve, ingenuidade à parte, o melhor tom de “pão e circo”. Um jornal britânico, o The Times apontou: “O casamento proporcionou à nação uma reunião sem divergências de partido, sem pretextos para a discórdia política. Em um momento tão difícil para a Grã-Bretanha, quando a moral nacional está baixa, o sol brilhou e todo o mundo pôde compartilhar os risos e a felicidade”. Casamento real é sempre um tema conturbado, principalmente quando envolve a nobreza mais envolvida no poder do mundo: berço do liberalismo e do neo-liberalismo, sede da revolução industrial, o Reino nem tão Unido revive seus momentos de glória: a cauda do vestido da princesa ganhou de todos os TT  políticos no Twitter, de longe.

Afinal, no Ocidente, nosso imaginário se deleita com princesas felizes e contos de fadas. Esperamos que isto seja uma luz no fim do túnel, e que não aconteça outros desastres desta vez. O amor romântico retorna a cena, e se vc discorda, basta olhar as tendências da estação (ALICE lê Vogue, e adora!) e ver os fru-frus do balé, e a onda retrô, para entender do que estou falando. Claro, que evoluímos, já se discute quão masculino é o poder no balé clássico, quem não viu Cisne Negro está fora do mundo. Claro que o casamento veio num momento delicado, ai, meus anos de estudo de Ciência Política, na Inglaterra há enormes  dificuldades no setor de emprego, e gigantescos cortes dos gastos públicos, mas a embriaguez causada pelas núpcias reais permitem que um lado criativo do mundo se revele, também.

E nem só de ciência política e análise de conjuntura vive o mundo… E esta, sem perceber a delicada trama de símbolos do imaginário é dura e sem sentido: basta ver que depois da abertura, a Rússia comprou batom como nenhum país do mundo. Precisamos de justiça social, sim, meus caros, e ela deve incluir a divisão da riqueza, e se inclua nisso laços de fita, por favor…

Tudo isto posto, antes que Alice seja vista como uma desmiolada que só pensa em moda, o que de fato ela também… (SOMOS TANTAS…)

Quem você acha que se vestiu melhor, das convidadas? Bem, vou dizendo o que acho, e visite os links para viajar neste mundo das maravilhas!


Alice a-do-rou a maravilhosa escolha de Isabella Calthorpe.

A moça foi affair do Príncipe , mas segurou a onda diante da óbvia fala, poderia ter sido eu, e escolheu um modelo fantástico. Muitos atribuem a ela o posto de mulher do mundo que a Kate mais odeia. Eu entendo, e todo mundo que amou também… Alice adora uma fococa de celebridade? nem sempre. Só as reais… Leia mais aqui.

Mas, vamos ao que interessa:

Alice a-do-rou a maravilhosa escolha de Isabella Calthorpe. Vestida por Matthew Williamson ela desfilou a melhor roupa de dor de cotovelo do mundo!!!! Afinal, mesmo na hora que seu ex-affair, o princípe da Inglaterra está CASANDO, não se sai da pose. Meninas, aprendam. Isto é classe.  


No casamento do Príncipe William com Catherine Middleton na Abadia de Westminster, em Londres, Kate usou um vestido deslumbrante desenhado por Sarah Burton para Alexander McQueen.  O vestido de Kate tinha mangas longas e laço num um decote sweetheart, com uma saia cheia apertadas na cintura. SIM, é uma repaginação do vestido de Grace Kelly!!!!!!

O vestido foi feito à mão, usando tecido Chantilly Francês e Inglês, em  todo o corpete, saia e saia de baixo. A saia, feita de  cetim e Gazar  marfim e branco, foi projetado para imitar uma flor que se abre: acolchoada nos quadris, que fluiu para o chão. A parte de trás do vestido era de organza e botões forrados presos por alças Rouleau.

Kate usou véu de tule de seda marfim, enfeitado com flores bordadas à mão. Foi mantido no lugar por tiara ‘Halo’ uma Cartier, emprestada a Kate pela rainha. Ela também usava brincos de diamante, de Robinson Pelham, um presente de seus pais. O Buquê da noiva era de ramos de murta (flor conhecida popularmente como “Sweet William” em homenagem ao príncipe.

“Pela própria concepção de mundo, pertencemos sempre a determinado grupo, precisamente o de todos os elementos sociais que compartilham um mesmo modo de pensar e agir. Somos conformistas de algum conformismo, somos sempre homens-massa ou homenscoletivos”
GRAMSCI. A. Cadernos do Cárcere, vol. 1, p. 94

Hai Kai do Coelho

O Coelho Branco veste terno Chanel
O Coelho Branco veste terno
O coelho Branco veste

Adriana Dias

Beijos coloridos em todos!

Anúncios

2 Respostas to “Somos tantas…”

  1. Não Somos Apenas Rostinhos Bonitos 1 de Maio de 2011 às 12:33 #

    Concordamos absolutamente com as impressões de Alice.
    A Kate se saiu muitíssimo bem nesse primeiro e contundente teste.
    Bjs nossos.

    Gostar

    • Adriana 1 de Maio de 2011 às 12:50 #

      Com certeza. 😉

      Gostar

Os comentários estão fechados.