Decifra-me

25 Nov

 

Não que eu vá te devorar,
ao contrário, eu alimento a Terra inteira,
mas, sei da minha complexidade
sou meio barro, meio areia.
Sou plural e única,
verso, prosa, e-mail, carta formal.
Sou antiga e moderna,
gosto de rock e de bolero
acredito em amor eterno e em sexo casual.
Minhas metades são tantas e eu tenho múltiplas faces,
sou o caminho e a chegada,
a fecundação e o ciclo menstrual.
Sofro de TPM e sou absolutamente lúcida,
O difícil é saber quando e qual.
Mas, decifra-me,
e terá acesso a tudo:
ao som das estrelas,
que eu escuto
no meu saber infinitesimal.
Sim, sou mulher, e hoje é o dia da minha luta.
Decifra-me, luta comigo.
Sê meu igual.

Adriana Dias

Advertisements