Para Rita, com todo meu amor

24 Jan

Hoje faz um ano que a melhor parte de mim se foi. Quando falei pela primeira vez com a Rita, em 2001, um milagre se deu: a imensa sensação de estrangeira, de não pertecimento, de estranhamento, causa da solidão interna que foi companheira mesmo nos momentos de gritaria dos almoços quase campos de batalha da família desapareceu: é como se uma alma dividisse dois corpos: tínhamos os mesmos hábitos de leitura, os mesmos interesses, nos fizemos antropólogas, tínhamos Osteogenesis imperfecta. Ao encontrá-la, meus fantasmas imaginários voltaram para a Terra do Nunca, e Alice entendeu o enigma dos biscoitos que encolhem e dos cogumelos que aumentam: não, a doença que eu tinha não era uma aberração e havia outras pessoas, tão cheias de vida interior como eu que sentiam dor o tempo todo, que lutavam contra os ossos de vidro, mas que viviam com almas de aço de inox e espírito inquebrável.
Amá-la foi fácil, simples, divertido, natural. Falar com ela no skype, um hábito prazeroso, que invadia madrugadas e trazia à memória sonhos de infância, narrativas de adolescência, amores deixados de lado, esperanças, expectativas, discussões acadêmicas. Tudo regado a lágrimas, risadas, que prezamos muito mais, carinho, afeto. Rita era uma soma inexplicável de afeto e inteligência, humor e sabedoria. Conviver com ela por mais de uma década, mais que um presente, foi uma escola, de como cuidar, do outro, de si, da vida.
Hoje faz um ano que o cristal virou estrela. Ela escolheu o Santili, grande companheiro de estrada para guiar a passagem, deixou no dia anterior uma mensagem na minha fazenda do Orkut com o texto amigos para sempre, eu te amo. Se ela sabia, não sei. Só sei que sempre ela estará comigo. Não a melhor parte de mim não se foi. Apenas ficou mais numinosa.

Anúncios

Uma resposta to “Para Rita, com todo meu amor”

  1. Maria Alexandrina Cesar Ferraz 24 de Janeiro de 2012 às 8:25 #

    Estou emudecida com tamanha maravilha! Muito legal! Ainda não sei o que falar! No mínimo um presente em minha vida!.

    Gostar

Os comentários estão fechados.