Meu problema com o Lulu

7 Dez

Nas últimas semanas, todo mundo na rede fala do app Lulu. Se você esteve em Urano e não sabe o que é entenda:  é um aplicativo para mulheres avaliarem os homens respondendo perguntas pré definidas e incluindo hashtags. Não há comentários, nem respostas abertas.  Como eu falei aqui, o APP avalia as respostas e dá uma nota, em vários setores: o desempenho dos rapazes na beleza, afetividade, aparência, educação, ambição, humor, e performance sexual,  tudo  de modo anônimo.  Há dois problemas: aparece gente q vc não conhece. (Ou seja não apenas seus amigos e conhecidos no FACE, pois o  Lulu usa os dados do Facebook) e há a possibilidade de mentir. E causar danos na vida alheia (mesmos se não mentir, aliás).

Em novembro, foram mais de 5 milhões de downloads do app em poucas semanas.  Eu cheguei nele, creiam, pq um cara q eu fiquei numa era pré-jurássica me ligou, um cara de enta anos, pq a filha dele de vinte anos estava com vergonha dele ter sido mal avaliado. Amiga, vc não acredita, mas eu avaliei o sujeito a pedido da filha da criatura. Depois a pedidos mais 3 amigos, 1 mal avaliados, outros 2 sem avaliação.

Algumas tags são engraçadíssimas:  o que é um cara #encantadordelingerie : ? Criativa como sou fiquei imaginando uma flauta mágica (sabem de que flauta estou falando ou preciso desenhar???), que ao som de sua música faz minha gaveta de bodys, e tudo mais sair andando…

Claro q virou assunto da semana. Mas, eu não gostei do LULU. Até entendo que a iniciativa da Alexandra Chong que criou o treco é boa, um espaço pra garotas falarem de tudo, conversa de banheiro. Mas, aos milhões?

Minha crítica não é nem de longe, a mais comum. Claro que garotas avaliando o desempenho sexual dos caras foi o que causou o furor envolvendo o aplicativo, a pretensa vingança do Tubby, e tudo mais. O machismo não suporta que o macho seja posto em questão.  E em público? TSC TSC

Mandela teria zero no quesito ambição no LULU.

Mas, é q eu não acho q seja este o caminho. Gerou revanchismo sexista? Eu estou fora. Fez de pessoas produto, objeto, estou fora. E além de tudo, eu achei capacitista. Como ficam as pessoas com deficiência, num mundo de corpos perfeitos, idealizados? Achei materialista, capitalista demais. Daqui há dez anos o cara tem q ter uma firma, uma casa, uma mansão. E se eu não quero isso pra mim? Se quero cuidar de crianças doentes, e viajar pelo mundo pregando a paz, ou ficar dezenas de anos presos contra o racismo como Mandela? Mandela teria zero no quesito ambição no LULU.

E  eu não gosto de ficar espiando. Não curto BBB, nem LULU. Eu prefiro vida sem ZOO humano. Assombrou-me o quanto o LULU invadiu a vida. Graças aos amigos que pediram avaliações, que fiz, com Marcelo do lado, eu vi o quanto foi rápido o LULU chegar em todas as pessoas que eu conheço. Foram 3 dias. Apenas. Foi engraçado ver o humor político brincar com os perfis do LULU.  Mas, parece teen demais.

Eu prefiro o Mandela, o terrorista, q foi trancafiado pelo regime separatista da África do Sul, do que qualquer celebridade da revista Veja, que é paga com o dinheiro do regime que o prendeu.  Eu não prefiro o Mandela hj. Eu sempre preferi. Eu prefiro ver as pessoas sem notas. Nem cor-de-rosas, nem tags. Humanas. Com todos os erros que elas tem, que eu tenho também.  Mas, lutando, para melhorar a si, e ao mundo.

Anúncios