Nota de aprendizado eterno

20 Set

3619861

Esse texto aparece de diversas formas em muitos manuais de ocultismo. acho ele muito ALICE. Bjs coloridos!

•Você receberá um corpo. Você pode amá-lo ou odiá-lo, mas ele será seu “dispositivo mor” pelo tempo em que você estiver aqui na Terra.

•Você vai aprender lições. Você está inscrito em tempo integral na Universidade da Vida. Cada dia será um novo dia de aula, e você terá oportunidades constantes para aprender. Você pode gostar ou odiar essas lições, mas elas farão parte do seu currículo para sempre.

•Não existem erros, apenas lições. Crescer é um processo experimental, de tentativas e erros. As experiências que “falham” são tão importantes nesse processo quanto as que dão certo.

•Uma lição é repetida até que seja aprendida. Uma lição será apresentada de diversas formas até que você realmente a aprenda. Assim que você aprender, poderá avançar para as próximas lições. Se não aprender, sorry, a lição volta.

•O aprendizado nunca termina. Não existe uma parte da vida que não contenha lições. Se você está vivo, ainda existem coisas para aprender.

•“Lá” não é melhor do que “aqui”. Quando seu “lá” transformar-se em “aqui”, você simplesmente criará um outro “lá”, que vai parecer melhor do que o seu “aqui”.

•As outras pessoas são seus espelhos. Você não pode amar ou odiar algo sobre outra pessoa sem que, na verdade, isso reflita algo que você ama ou odeia em si mesmo.

• O que você faz da sua vida é sua responsabilidade. Você tem todas as ferramentas e matérias-primas necessárias. O que você faz com elas é responsabilidade sua. A escolha final é sempre sua.

•As respostas estão dentro de você. As respostas para suas maiores dúvidas existenciais estão dentro de você. Tudo o que você precisa fazer é olhar, ouvir e acreditar.

•Você esquecerá de tudo isso!!!!!!!!! 

Anúncios

Minimanual do Jornalismo Humanizado

16 Set

Direto do Thin Olga: estamos muito felizes em anunciar hoje o tão esperado lançamento da Parte 2 do nosso Minimanual do Jornalismo Humanizado. Dessa vez, reunimos dicas e exemplos práticos para jornalistas que vão escrever sobre pessoas com deficiência. Ainda em tempos de paralimpíadas, essas informações valem ouro!

Você sabia que mais de um bilhão de pessoas no mundo possuem algum tipo de deficiência? Os dados são de 2011 (http://bit.ly/2cgJY1W) e já refletem a importância de um entendimento mais profundo sobre essa significativa parte da população.

Nosso objetivo é fornecer ferramentas que ajudem de forma prática aos profissionais dos meios de comunicação a se livrarem de abordagens e termos preconceituosos que somente contribuem com as limitações enfrentadas por grupos minorizados na sociedade. Segundamente, queremos educar o público em geral a identificar e apontar os erros cometidos pela mídia.

Para cumprir essa missão, convidamos a antropóloga Adriana Dias para desenvolver o conteúdo desta segunda parte do minimanual. Adriana é coordenadora do Comitê “Deficiência e Acessibilidade” da Associação Brasileira de Antropologia e coordenadora de pesquisa tanto no Instituto Baresi (que cria políticas públicas para pessoas com doenças raras) quanto na ONG Essas Mulheres (voltada à luta pelos direitos sexuais e reprodutivos e ao combate da violência que afeta mulheres com deficiência).

É pra ler, aprender e compartilhar com todo mundo! 🙂

http://thinkolga.com/minimanual-do-jornalismo-humanizado/pt-2-pessoas-com-deficiencia/

Além do ableism. Com #hashtag e sem medo, precisamos falar de Sagamihara.

5 Ago

Em26 de julho último, no Japão, um jovem de 26 anos de idade, Satoshi Uematsu, esfaqueou 19 pessoas à morte, e feriu outras 26 na pacata cidade de Sagamihara. Uma cidade de pouco menos que 700 mil habitantes. O ataque foi às pessoas com deficiência em uma casa de cuidados residenciais. Uematsu havia trabalhado ali anteriormente. Após o perverso abate, o Uematsu twittou: “Espero a paz mundial Beautiful Japan !!!!!!”.

Ele, então, entregou-se à polícia. O jornal The Guardian relatou que ele disse à polícia a seguir: “É melhor que as pessoas com deficiência desapareçam.”

O massacre se deu no 26º aniversário do Americans with Disabilities Act, que iniciou o grande debate de direitos para essas pessoas no mundo, levando a Convenção da ONU de Direitos das Pessoas com Deficiência.

O dia foi escolhido, obviamente. Ele trabalhou lá, como dito, conhecia o movimento das pessoas com deficiência.

Conhecia os funcionários, os residentes, seus familiares.

Acreditava ser capaz de matar 470 pessoas, em duas instituições, antes de se entregar. Ele disse que faria isso pela felicidade do mundo, sem prejudicar a equipe. Disse isso, por escrito, a parlamentares, antes. Fez por ódio. Apenas por ódio. Muito além do ableism[1] , um crime de ódio que deixa a todos os seres humanos, verdadeiramente humanos estarrecidos.

texto integral no MEDIUM. https://medium.com/@dias_adriana/al%C3%A9m-do-ableism-com-hashtag-e-sem-medo-precisamos-falar-de-sagamihara-410b0e0bfbc9#.n870ojdc3Meu medium se dedicará exclusivamente aos Desability Studies. Abraços. 

O dia de botar o pé na jaca vegetariano

5 Ago

 

Alice ama comida boa. Se for colorida, vegetariana, saudável, melhor. Mas, tem dia, ahhhhhhhh, tem dia, que a gente precisa botar o pé na jaca. Precisa de hamburguer, de bolo cuca, de batata rústica com maionese verde, e de TUDO ISSO JUNTO. Nesse dia, é bom que seja tudo vegetariano. Porque assim, você fica com a consciência mais calma, ou menos pesada, e a alma feliz! O dia que dá para chaar todo mundo para comer, ou chamar o batalhão, aqui em casa conhecido como marido.

 

13714316_10207211334221660_832074385_n

 

Bom, nesse dia, eu faço as minahs receitas favoritas, e viva a festa da cor, do sabor, da alegria.

Vamos as receitas.

Hamburguer de soja vegetariano

soja

Ingredientes

2 xícaras de proteína de soja
2 xícaras de água quente
3 colheres azeite de oliva
1 xícara de farinha de rosca (talvez um pouco mais, depende da umidade)
1 unidade de cebola roxa ralada
1 cabeça alho
1/2 colher de chá de cominho em pó
3 colheres de sopa de molho shoyo
1 colher de sopa de orégano
1 xícaras de salsa e cebolinha
sal e pimenta do reino a gosto
1 colher de sopa de semente de coentro e pimentas coloridas misturadas.

Aveia em flocos (opcional)¨

Eu faço assim: Ferva a água, e hidrate a soja. A soja precisa da água para receber os sabores. SEMPRE. Sem isso, fica sem graça, como a rainha de copas sem maquiagem. Aperte para a água sair, depois de dez minutos. Coloque o molho shoyo. Espere mais dez minutos. Processe todos os outros ingredientes no processador de alimentos, menos a farinha de rosca. Eu uso um mini processador. Junte à soja. Espere trinta minutos para a soja absorver sabores. Junte a farinha de rosca e modele os hambúrgueres. Se quiser acrescente 3 colheres de aveia e espere mais dez minutos, eu faço isso parar acrescentar sabor, nutrientes e liga.
Eu asso em forma com papel alumínio untado levemente com azeite de oliva por 25 minutos.

Monto os hamburgues no pão, com maionese verde, tomate, cebola rocha, alface, conserva de beringela.  Sirvo com batata rústica e mais maionese verde.

Com sucos e chás geladosssssssssss!

Maionese Verde

Versão fácil, não vegan

Maiones, 5 colheres de sopa, 2 dentes de alho, 3/4 xícaras de salsinha e cebolinha verde picadas, azeite, sal, pimenta do reino a gosto. Processador de alimentos. Pronto.

Versão fácil, vegan. 

200g de tofu, 4 sopas de vinagre ,  2 dentes de alho, 3/4 xícaras de salsinha e cebolinha verde picadas, azeite, sal, pimenta do reino a gosto. Processador de alimentos, até virar uma pasta. Pronto.

Batata Rústica

Lave 6 batatas. Corte, com cascas, em gomos. Eu corto em gomos de 3 cm. Cozinhe em água fervente com sal, por 6 minutos. Deixe escorrer. Espere pelo menos meia hora. Tempere com alecrim, tomilho, ervas que você gostar. Asse, eu forro com papel alumínio, em forma untada com  azeite, e 3 dentes de alho com casca, por 12 minutos, vire as batatas e asse mais 10 minutos. sal só depois de assar. Eu uso flor de sal.

Conserva de Beringela

Faça a receita abaixo, adaptada daqui , eu faço com 3 beringelas e mudo o tempero:

1 cebolas média cortadas em meia-lua
150g de azeitonas pretas partidas e amesma quantidade de alcaparra
Tomilho, alecrim, a gosto
3 dentes de alho em lâminas finas
1/2 xícara de vinagre branco e amesma quantidade de vinho branco
1 xícara de salsinha picadinha
3 xícaras de Azeite de oliva extravirgem (aproximadamente)
Sal

A Sobremesa é Bolo Cuca de Banana com Doce de Leite

20160804_170620

Sabe aquele bolo que a gente come, e volta na cozinha antes de acabar o pedaço desesperadamente? É esse. Marcelo, meu marido, diz que quer todo dia um, juro por Alice, e jurar por Alice é muito sério.

Misturo duas xícaras de farinha de trigo, com uma de aveia em flocos finos ou grossos, a que tiver. Eu uso integral. Você pode usar branca, se preferir. Mais 3/4 de xícaras de açucar, mascavo ou comum. Prefiro mascavo. E 200g de manteiga. Misturo até fazer uma farofa bem úmida. Reservo. Coloco um pouco de canela na massa se uso banana ou maçã.

Numa outra vasilha misturo 200g de doce de leite com 3 colheres de creme de leite. Reservo.

Numa outra misturo 2 colheres de canela com 1 xícara de açucar mascavo.

Corto 6 bananas ao meio no sentido de comprimento. Nanica.

13706094_1215809298431766_343184922_n

Uso forma de 25cm de fundo removível. Forro com papel alumínio para facilitar o desenformar.

A ordem é açúcar com canela, banana, metade da farofa, doce de leite, metade da farofa. Forno de 200º por 30 minutos, espero esfriar, desenformo e prazer absoluto em seguida.

Boas combinações para essas cuca: no lugar do doce de leite com creme de leite, goiabada, nutella, coco ralado com leite condensado. No lugar da banana, maçã, abacaxi, pessêgo, damasco fresco. A lista de prazer é infinita.

 

 

O ódio pode levar nosso futuro?

17 Jul

Em catorze anos de pesquisa etnográfica,  foi possível verificar que mais de um milhão de pessoas acessam material neonazista nas Américas, cerca de 40% só na América Latina. Usuários baixam por ano mais 150 mil downloads de arquivos de teor nazista, superiores a 100 megabites cada

Por Adriana Dias*

Rosa Barreiro passará o próximo dia 18 em luto, pela vigésima segunda vez. Em 1994, ela perdeu seu filho Sebastián, no atentado a AMIA, em Buenos Aires. Ele tinha apenas 5 anos.

Ela passava com ele pela calçada. Dirigia-se ao Hospital das Clinicas para um curso. Combinaram de fazer um lanche na volta e o garoto havia separado seus dinossauros favoritos para brincar com a mãe. Ao passar pela Rua Pasteur, a bomba explodiu e ela não conseguiu salvá-lo. Foi levada ao Hospital e nunca se recuperou da perda, obviamente.

Adriana Dias: O calvário de ter um filho com doença rara numa UTI

24 Jun

Vinicius Araújo Fonseca está internado no Hospital Unimed da cidade de Botucatu, São Paulo, desde o dia 28 de março. Nos primeiros 35 dias permaneceu internado na UTI com acompanhamento de um dos pais em uma sala de isolamento do setor, conforme acertado anteriormente na ouvidoria da UNIMED, pela particularidade da doença. Posteriormente, Vinicius foi para o quarto e voltou por seis vezes para UTI, devido complicações, mas teve a presença dos pais impedida. O pai, apavorado pede socorro em seu calvário, para que alguém permita seu direito de estar com seu filho

Dos muitos Joaquins.

23 Jun

UPDATE AO POST ANTERIOR: Um amigo me contou que um morador em situação de rua em SAMPA, está lendo A Montanha Magica, de Thomas Mann, no meio do frio. Ele emprestou numa biblioteca. . Não consegui parar de chorar desde então.

Vai ver q é daí q eu gosto tanto de Joachim. Joachim Ziemssen. VaI VER QUE O SUICÍDIO É COMO UMA TURBECULOSE.