Tag Archives: mundos

Fechando o mês das crianças

20 Out

Crop Day pelas Crianças Raras

Organização Instituto Baresi e Blog Espelho de Alice

Coloque o coração nestes scraps!

Regras:
Serão selecionados 8 scrapers, preferencialmente de São Paulo capital, (se você for de outro lugar pode se inscrever, sabendo que o Instituto, nem o Blog não se responsabilizam pelo custo de passagens ou estadia).
Cada um dos scrappers receberá, pelo menos, 4 fotos de 2 crianças distintas (pelo menos duas por criança), além de um resumo da história da criança. Ele poderá usar uma ou mais fotos, mas deverá construir pelo menos uma página para cada criança, concorrendo, portanto com 2 páginas. O crop Day acontecerá dia 30 de outubro, domingo, de 14.30 às 17h.
Todo material e ferramentas serão fornecidos pelo Instituto Baresi e pelo Blog Espelho de Alice, com apoio de Patrocinadores.

As páginas pertencerão ao Instituto Baresi e não poderão ser reclamadas posteriormente. Todas as páginas serão fotografadas e disponibilizadas na Internet para votação por, pelo menos, 45 dias. Os scrappers concordam que divulgarão em seus blogs, sites, facebook, twitter, Orkut, ou outras redes sociais que façam parte, e da forma que puderem seu trabalho, sem nenhum custo pra os promotores para ter direito à premiação. Ao divulgar, obrigatoriamente, colocarão a arte do evento, e a chamada do mesmo. Todos concordam em ceder uso da imagem da página e sua imagem, no dia do Crop Day, para divulgação do evento. As páginas ainda serão divulgadas na feira Reatech, expondo o trabalho das scrappers para mais de 20 mil pessoas.

A página mais votada ganhará um super kit de Scrap (veja abaixo a foto do prêmio!).
A segunda e terceira colocada ganharão minikits da Loja Espelho de Alice Scrap’s.

Para se inscrever, deixe até o dia 27 de outubro um comentário em https://espelhodealice.wordpress.com/ no post do evento, faça um post no seu blog/site ou facebook sobre o evento com link para este post  e mande um e-mail para instituto.baresi@gmail.com

Patrocínio: Armazém Criativo e Blog Espelho de Alice. Apoio: Oficina do Papel e Loja Ana Banana

Olhe a foto do Primeiro Prêmio (apenas para as scrappers que apriciparem do crop day presencial!):

Atendendo a pedidos: moradores de fora do Estado de São Paulo, das Comunidades CraftBook e Amigas DSM podem participar a distância, mas precisam fazer a postagem no blog e seguir as outras regras. Vamos lá? Vamos abrir outro concurso paralelo para kit digitais! participem. É a chance de colocar seu coração nos scraps! As scrappers que participarem à distância concorrem com o mesmo prêmio! Como no trabalho à distãncia o materia é por conta das scrappers, basta fazer uma página (com uma ou as duas das fotos q vão receber) e devolver a página pra gente. Mas, tem de

1. Fazer um comentário em https://espelhodealice.wordpress.com/ no post do evento, (se não a gente enlouquece aqui sem saber pra quem enviar as fotos!) 2. faça um post no seu blog/site  ou facebook sobre o evento com link para este post   e 3. mande um e-mail para instituto.baresi@gmail.com!

Mais atualização!

Regras Digital

O que devo fazer?

Um LO com tema: – Para uma criança rara, com amor
A scrapper receberá duas fotos e um texto sobre a criança para servir de inspiração. poderá usar uma ou duas fotos, na composição que preferir. As fotos serão mandadas no dia 30/10.
Podem usar os kits que quiserem, desde que transmitam doçura, superação e esperança.
– Deve ter título caprichado e journaling.

Onde postar?

Em link a ser indicado no blog Espelho de Alice, depois do dia 03 de novembro. As páginas serão expostas para votação. A primeira colocada além de ajudar nossas crianças, ganha um VALE PRESENTE DO ARMAZÉM CRIATIVO de R$ 30,00 e um mimo do Blog Espelho de Alice!

Até o dia 29/10, faça sua inscrição!:
1. Fazer um comentário em https://espelhodealice.wordpress.com/ no post do evento, (se não a gente enlouquece aqui sem saber pra quem enviar as fotos!) 2. faça um post no seu blog/site ou facebook sobre o evento com link para este post e 3. mande um e-mail para instituto.baresi@gmail.com!

Aos seis anos

24 Maio

Ontem, quando eu defendia no Twitter, mais uma vez  a escola inclusiva, destacando um príncipio fundamental da declaração de Salamanca, o principio de que, na escola inclusiva, todas as crianças devem aprender juntas, um professor me respondeu que eu tentasse  explicar isso para uma criança de seis anos. Pensei na hora na única resposta que acho possível, mas não respondi por considerar que poderia ser tido apenas como uma respsota agressiva. Na verdade, acredito que quem não se acha capaz disso nem devia TENTAR ensinar.

A idéia da escola inclusiva é por fim, de uma vez por todas, nas organizações que absorvem verbas públicas, aos milhões, longe da lógica da escola pública, e portanto, longe do controle estatal. Pensar uma escola segregada, fundamentando isto numa necessidade especial de educação, quer validada pela experiência da surdez, ou por qualquer outra é uma verdadeira afronta ao modelo de sociedade, solidário, que desejo para as futuras gerações.

É verdade que a LIBRAS é determinante na apreensão do mundo do surdo, permitindo uma tradução muito específica da realidade. Sim, é. Mas, isto não cria a Surdolândia, nem a LIBRASlandia. Pois a paralisia cerebral também é determinante neste sentido, o autismo e a síndrome de down, com seus aspectos cognitivos específicos também. Isso, apenas para dar mais três exemplos. Se justificarmos pelo aspecto culturalista, teremos que criar escolas específicas para cada modelo de apreensão de mundo. Ganhariam apenas os surdos, por estarem mais mobilizados, neste sentido, tendo como aliados os partidos neo-liberais?

Na verdade, para além do debate se há ou não cultura surda, e como esta não dá conta, e não dá mesmo, dos recortes de classe, gênero, étnicos e de orientação sexual, está o que desejamos para a sociedade brasileira. Porque esta deve ser a diretriz definitiva para pensarmos a escola que necessitamos. Não há homogeneidade no mundo, nem no mundo surdo, nem nos mundos possíveis pelas escolas que fragmentam seu público-alvo.

Quando decidimos aparelhar a escola pública com salas bilíngües, com salas de recurso (e eu tenho algumas críticas à forma que esta implantação tem se dado), com melhores recursos audio-visuais, não organizamos uma escola melhor para esta ou aquela dificuldade. Possibilitamos, na verdade, uma escola melhor para todos.  Ao permitimos que a diversidade humana  esteja presente na vida escolar, e realizamos, paralelamente a isto um trabalho educacional verdadeiramente inclusivo, aprenderemos tudo o que é necessário para viver em sociedade, aos seis anos de idade.

O aprendizado, então,  se dará de modo que a escola se torne o que Vygotsky denominou  zona de aproximação proximal, um espaço no qual a relação com o outro é determinante no aprendizado como facilitador. Claro que isto exigirá tempo recursos e treinamento. Por isto mesmo, não há como dividir recursos desta proposta para outras diferentes. O dinheiro público só pode ser investido nesta proposta.

Se há outros desejos, que se busquem outros caminhos. Precisamos escolher o que é importante para nós, e deixamos toda possibilidade de formação de guetos no passado.

Primeiro de Maio

1 Maio

Bom dia, Presidenta!

Beijos coloridos em todos!

Grande frase!

12 Mar

O Mestre da moda falou:

For me, Chanel is like music. There are certain notes and you have to make another tune with them.
 Karl Lagerfeld

o levante

23 Abr


Mordechai Anielewicz, o líder de 23 anos do Levante do Gueto de Varsóvia, escreveu em sua última carta (datada de 23 Abril de 1943):

“O que aconteceu está além dos nossos sonhos mais selvagens. Duas vezes os alemães fugiram de nosso gueto. Uma de nossas companhias resistiu por quarenta minutos, e a outra, por mais de seis horas… Não tenho palavras para descrever-lhes as condições em que os judeus estão vivendo. Apenas alguns escolhidos vão resistir; mais cedo ou mais tarde, todo o resto perecerá. A morte esta lançada. Nos abrigos em que nossos câmaras estão se escondendo, nem mesmo uma vela pode ser acesa devido à falta de ar… O principal é: O sonho da minha vida se tornou realidade: Eu vivi para ver a resistência judaica no gueto, em toda sua grandeza e glória.”

Beijos coloridos em todos!